domingo, 24 de outubro de 2010

O DIABO VESTE PRADA - Resenha


RESENHA: O diabo veste prada, 2006 (EUA); direção: David Frankel
por Priscilla Mascarin
O filme conta história de uma jovem que foi contratada na mais famosa revista de moda. No seu primeiro dia na agência ela percebe que trabalhar com sua superiora, que é a mais importante executiva da revista não é algo tão fácil de lidar. No primeiro dia de trabalho seu estilo já é motivo de piada para toda a agência. Logo, este trabalho traz transformações para o seu visual e para sua vida.    
Este filme pode ser comparado com a vida profissional de cada cidadão que por muitas vezes sofrem opressões no ambiente de trabalho, fazendo o individuo nessas circunstâncias modificar a si mesmo devido à pressão que é exercida sobre ele pela sociedade. É possível também ser comparado à vida dos estudantes, que são influenciados pelo que está no auge, ou seja, pelo que está na moda, e se algum destes não se adequar ao estilo da sociedade sofrem na maioria das vezes o preconceito. Fazendo com que este também se sinta oprimido e queira ser/ter igual tudo que a sociedade lhe implica. Ou seja, estas duas comparações são os exemplos de que a liberdade natural sofre influencia pela vontade geral, pois há certa descriminação se algum cidadão não seguir o que a sociedade quer que este siga. Como dizia Jean Jacques Rousseau "O homem é bom por natureza. É a sociedade que o corrompe", sendo assim a sociedade exerce influencia na liberdade que o homem tem por natureza, fazendo este sofrer humilhações por não seguirem o que esta quer e consequentemente na maior parte das vezes o homem se deixa corromper devido não suportar a pressão que é depositada sobre ele.
No meu ponto de vista o filme “O Diabo Veste Prada” representa a realidade em que todos vivem. Nos transmitindo a mensagem que a sociedade tem grande peso nas decisões de cada individuo. Sendo este um bom filme que causa melhor entendimento de como a “massa” tem grande participação na vida de todos e como o homem na maioria das vezes não toma suas próprias decisões, mas sim vai de acordo com a vontade geral.  E também gera questionamentos, se vale a pena mudar pela vontade geral ou se é melhor tomar sua decisão sozinho. Ou seja, faz com que pensemos mais sobre o que acontece na vida de todos. Em meu parecer este filme pode ser aplicado nas disciplinas como Filosofia e Sociologia, pois em Filosofia o maior objetivo é fazer com que o aluno PENSE e na Sociologia que este conheça seus direitos e lute por eles, sendo a liberdade um direito de todo e qualquer cidadão.
Portanto, este filme é destinado á aqueles que sofrem de certa forma uma pressão pela “massa”.
Sou Priscilla Mascarin, 17 anos, estudante do Ensino Médio, da Escola Estadual Profª Olívia Bianco. Piracicaba - SP

Nenhum comentário:

Postar um comentário