segunda-feira, 30 de abril de 2012

O PENSAMENTO PRE-SOCRATICO

SOBRE O PENSAMENTO PRÉ-SOCRÁTICO


01 - QUAIS OS PRINCIPAIS CARACTERISTICAS DO PERÍODO;

02 - RESUMA O MOBILISMO E A DIALÉTICA DE HERÁCLITO;

03 - RESUMA O CONCEITO DE SER EM PARMÊNIDES.

01 - quais os principais características do período: os filósofos deste período se preocuparam quase exclusivamente com os problemas cosmológicos. Estudar o mundo exterior nos elementos que o constituem, na sua origem e nas contínuas mudanças a que está sujeito, é a grande questão que dá a este período seu caráter de unidade. Pelo modo de a encarar e resolver, classificam-se os filósofos que nele floresceram em quatro escolas: 1ª escola jônica (o universo estático); 2ª escola itálica (o universo ígneo); 3ª escola eleática (o universo imutável); 4ª escola atomística (o universo mecânico);

02 - resuma o mobilismo e a dialética de Heráclito: Heráclito (535-475 a.C.) pertenceu à escola jônica, porém aos jônicos posteriores, isto é, aqueles que se distinguiram dos primeiros, em razão de virem cronologicamente depois e, sobretudo, por imprimirem outra orientação aos estudos cosmológicos, encarando o Universo no seu aspecto dinâmico e procurando resolver o problema do movimento e da transformação dos corpos. Na busca pela arché (princípio universal), H. afirma a mutabilidade de todas as coisas, o panta rei, panta rei,pois tudo se acha em perpétuo fluxo, a realidade está sujeita a um vir-a-ser contínuo. E como de todos os elementos, o móvel por excelência é o fogo, do fogo fez H. o princípio fundamental de todas as coisas. É a inda a preocupação dos antigos jônios de determinar um elemento único, como origem comum de todos os seres. Na dialética heraclitiana se encontra o processo de dois elementos que ora se fundem e se tornam um terceiro elemento, distinto dos dois primeiros, como ele mesmo expôs em relação ao fogo. No princípio era o fogo, que se identifica com a divindade, por um processo natural, do fogo (em oposição a ele) teve origem o mundo; por um processo de“extinção”transformou-se em água e depois em terra. Por um novo processo de “ascensão”, a terra volta a ser água e a água tora a fogo. Assim a “luta”separa os elementos , e a “concórdia” tende a reconduzi-los ao fogo donde provieram. Nestas vicissitudes em que a luta vai demolindo o trabalho da concórdia, o triunfo final caberá à concórdia. Mas então intervirá a divindade, construindo um novo mundo, em que as duas forças antagônicas entrarão de novo em ação.

03 - resuma o conceito de ser em Parmênides: Parmênides (530-444 a.C), pertenceu a escola dos eleatas, que firmaram o universo no panteísmo idealista, em oposição ao panteísmo naturalista das escolas precedentes; discípulo de Xenófanes, é metafísico e distingue duas ordens opostas de conhecimento: a sensitiva que nos leva à opinião (enganadora, ilusória) e a intelectual (fundada na evidência dialética, nos conduz à verdade). Enquanto que a primeira é percebida pelos sentidos, que dão conta do mutável, do múltiplo, do contingente; a segunda somente é alcançada pela razão, que capta o âmago de todas as coisas numa realidade única: o ser (ou ente). Esse ente, não podendo vir do não-ente (ex nihilo nihil), ´euno, eterno, ingênito, imóvel, indivisível, imutável, homogêneo, contínuo e esférico (esfera, figura perfeita). O mundo fenomenal não passa de uma ilusão captada pelos sentidos. Nas sua cosmologia do aparente, P. ensina que todas as coisas são compostas de dois princípio: luz-trevas, calor-frio, isto é, de fogo e terra.

sexta-feira, 20 de abril de 2012

ANALISE SOCIOLOGICA DE FILME: O QUATRILHO

Trabalho executado após a exibição do filme O Quatrilho (Dir. Fábio Barreto; Paramount/Dreamworks. Brasil, 1995, 92 min.), como parte integrante do conteúdo de Sociologia do 2ª Série do Ensino Médio referente a presença do estrangeiro (imigrante), a partir dos estudos do sociólogo alemão Georg Simmel.

1) Como são os personagens Angelo e Teresa, Massimo e Pierina?
Angelo era marido de Teresa, ela era um homem que trabalhava muito e estava sempre cansado e por isso não dava atenção, amor e carinho para sua mulher, fazendo que com isso ela fugisse com seu primo Massimo, abandonando-o e levando com si sua filha.

Teresa é mulher que acreditava que o casamento pode ser algo bom e cheio de amor e que também vai ser feliz ao lado de seu marido, mais se decepciona ao perceber que seu marido trabalha de mais e não te da atenção, então acaba fugindo com Massimo que é quem lhe dá amor e atenção.

Massimo era marido de Pierina, trabalhava como carpinteiro e fazia belos moveis de madeira, apesar de dar de tudo a sua mulher, não dava valor, e estava sempre dando em cima de Teresa a mulher de seu primo, que acaba se apaixonando por ele, então ele abandona Pierina e seu filho e foge com Teresa. Antes de vir para América Massimo morou na Itália, Porto Alegre e Buenos Aires, ao se casar com Pierina, ele constroi uma das casas mais lindas já vista naquela época, no terreno do pai de Pierina.

Pierina era uma mulher muito trabalhadora, portanto não dizia aquilo que sentia, era uma mulher simples e amarga, mas morava em uma bela casa. Pierina sentia muita inveja da beleza de Teresa, mas não tratava Teresa mal. Ao descobrir que seu marido Massimo havia fugido com Teresa, ela fica simplesmente calma, age normalmente e nem demonstra preocupação, e usa todas as suas forças para ajudar Angelo.


2) O que é ter cintura?
Ter cintura é uma expressão usada para se dizer que é preciso "segurar as pontas", suportar a realidade e aguentar firme diante da situação que se passa.


3) Qual a ideia dos homens sobre as mulheres (expressada pelo tio)?
O tio acha que os homens têm que ter autoridade sobre as mulheres.


4) Qual a ideia das mulheres sobre os homens (expressada pela tia)?
Tia Gema diz que as mulheres não devem fazer tudo o que os homens querem, nem suprir seus desejos e vontades na cama, diz também que homem tem que se tratar na "mão" e quando o homem falar a mulher deve ter sempre uma resposta na ponta da língua.


5) Como foi a chegada das famílias a colônia?
Ao chegarem de charrete a colônia se depararam com muita chuva, mas foram bem recebidos, seus negócios cresceram e houve lucro, logo fizeram amizades, pois ali iriam comprar novas terras.


6) Qual visão sobre o casamento para:
a) Padre. O padre relata que fica triste todas as vezes que faz um casamento, pois sabe que aquele brilho que está no olhar dos noivos, vai durar pouco e logo os problemas surgiram.

b) Anarquista. O anarquista acha que o casamento é um sacramento.

c) Tia Gema. Tia Gema fala que todas as mulheres que vão se casar pensam que tudo é perfeito, mas depois que se casam se decepciona pois viram mãe, dona de casa e ainda tem que se submeter a ter relações com seus maridos.

d) Teresa. Teresa sabe que o amor existe e que não é pecado, pois o amor foi feito por Deus, ela acha que o casamento é tudo lindo e perfeito, mais se decepciona depois de casar, pois vê que nem tudo é fácil.


7) O que pensam os brasileiros sobre os italianos?
Os brasileiros pensam que os italianos viriam para o Brasil para conseguir emprego.


8) O que pensam os imigrantes sobre os brasileiros?
Os imigrantes pensam que vindo para o Brasil, os brasileiros dariam emprego para eles.


9) Como se da a relação com a Igreja local.
a) 1º contato: Boas vindas, eles são bem recebidos.

b) 2º contato: Eles não podem mais fazer parte da Igreja.

c) 3º contato: Houve briga pelo caso de Massimo e Teresa terem fugido.


10) O que é capitalismo?
É quando tudo gira em torno do dinheiro.


Contribuição da aluna: Alice Vitória Comittre, 01, 2ºA (E.E. Dr. Jorge Coury)

domingo, 1 de abril de 2012

FREI CANECA

1779 - Nasce no Recife, Joaquim do Amor Divino Rabelo, filho de Domingos da Silva Rabelo, tanoeiro de profissão.

1789 - Fracassa a Inconfidência Mineira.

Revolução Francesa.

1796 - Aos dezessete anos, Joaquim do Amor Divino ordena-se frade pela Ordem dos Carmelitas. Ganha O apelido de Frei Caneca e torna-se professor de retórica, poe¬sia, geometria e filosofia.

1798 - Em Salvador, o Governo reprime a Conjuração Baiana, chamada de "Rebelião dos Alfaiates"; João de Deus, Lucas Dantas, Manuel Faustino e Luis Gonzaga são enforcados.

1808 - Chega ao Brasil o Príncipe Dom João e toda a sua corte.

1814 - Aumentam as atividades das sociedades secretas e as lojas maçônicas proliferam:

Areópago do ltambé, Academia do Paraíso, Academia dos Suassuna, Pernambuco do Oriente, Pernambuco do Ocidente.

1817 - A 7 de março inicia-se a Revolução Pernambucana, que dura apenas 75 dias. Frei Caneca e outros participantes do movimento são presos no Recife e trans¬feridos para Salvador, onde o Padre Ro¬ma e o Frei Miguelinho, também inte¬grantes do grupo, foram sumàriamente fuzilados a mando do Conde dos Arcos.

1820 - No Porto, eclode a Revolução Constitucionalista portuguesa, que vai exigir a volta de Dom João VI.

1821 - A família real embarca para Portugal, ficando no Brasil o Príncipe Dom Pedro, como regente.

Os revolucionários de 1817 são libertados e Frei Caneca retorna ao Recife.



29 de agosto: os liberais pernambucanos formam a Junta de Goiana, em oposição ao Governo legal.

1822 - Dom Pedro faz a independência do Brasil e é aclamado imperador.

1823 - A Assembléia Constituinte é dissolvida pelo imperador.

25 de dezembro: Frei Caneca começa a publicar seu jornal - Typhis Pernambucano -, onde defende os ideais liberais e constitucionalistas; faz sermões, discursos, pareceres e votos com O Único objetivo de defender a Constituição e atacar o poder absolutista.

1824 - Dom Pedro I outorga a Constituição Imperial, o que, em Pernambuco, aumenta a agitação liberal.

2 de julho: é proclamada a Confederação do Equador, que deveria abranger Per¬nambuco, Rio Grande do Norte e Ceará com o fito de resistir às medidas impe¬riais. Frei Caneca incumbe-se de propa¬gar as idéias, enquanto Pais de Andrade arma as tropas.

26 de julho: o imperador suspende as garantias constitucionais para Pernambu¬co e manda processar os líderes.

agosto e setembro: as tropas imperiais lutam com os republicanos e os vencem. Organiza-se um exército de libertação. Embrenha-se pelo sertão numa luta de guerrilhas.

outubro e novembro: a coluna revolucio¬nária consegue resistir até novembro. F rei Caneca é preso e encarcerado:

1825 - Sentenciado, Frei Caneca é condenado à forca, mas ninguém o quer enforcar. É então fuzilado e enterrado no Convento dos Carmelitas.

Quer saber mais e ter o texto na íntegra? Siga o link:
Frei Caneca - grandes reportagens